Descobrindo

O Fado na Arte Urbana de Lisboa

Junho 2, 2021 getLISBON 0Comment
Não perca os nossos artigos | Subscreva
Home | Descobrindo | O Fado na Arte Urbana de Lisboa

Neste artigo, sobre a presença do fado na arte urbana de Lisboa, vamos conhecer obras em que estes dois fenómenos culturais, profundamente urbanos, se aliam.

O fado é celebrado por toda a cidade que o viu nascer: no museu que lhe é dedicado, nos tributos em sua homenagem, nas casas de fado dos bairros típicos, nas vozes dos muitos fadistas que levaram e levam esta sonoridade ao mundo…

E claro, também está representado na street art que se tornou, há alguns anos, um dos ex-libris da capital.

Vamos, então, conhecer o fado na arte urbana de Lisboa que seleccionámos para si.

Faça uma visita guiada e conheça as fabulosas obras de arte urbana no centro de Lisboa.

Mural Fado Vadio

O Fado na Arte Urbana de Lisboa: Mural Fado Vadio, localizado nas Escadinhas de São Cristóvão, no bairro da Mouraria. Este expressivo mural é rico não só em referências ao fado, mas também a símbolos e vivências deste bairro e da própria cidade.
Fado Vadio de Hugo Makarov, Mário Belém, Nuno Saraiva, Pedro Soares Neves, UAT e Vanessa Teodoro; Mouraria

Este é, sem dúvida, o mais conhecido mural alusivo ao fado da cidade de Lisboa.

Localiza-se nas Escadinhas de São Cristóvão, no bairro da Mouraria, e foi executado, em 2012, por um colectivo de artistas: Hugo Makarov, Mário Belém, Nuno Saraiva, Pedro Soares Neves, UAT e Vanessa Teodoro.

A iniciativa partiu de um grupo de amigos e moradores da antiga Freguesia de São Cristóvão e São Lourenço, hoje integrada na de Santa Maria Maior.

Este expressivo mural é rico não só em referências ao fado, mas também a símbolos e vivências deste bairro e da própria cidade.

É possível observar as representações dos fadistas Maria Severa e Fernando Maurício e de músicos instrumentistas (guitarra e viola); alusões a fados como “Povo que Lavas no Rio” ou “Uma Casa Portuguesa” com pão e vinho sobre a mesa, ambos interpretados por Amália Rodrigues.

Também pode ser visto o santo patrono dos viajantes, marinheiros e barqueiros, São Cristóvão, invocado pela proximidade da Igreja Paroquial e pela toponímia local.

Têm igualmente lugar neste mural, os próprios moradores e o padre Edgar Correia Clara, grande dinamizador da freguesia e responsável pela preservação e restauro do património da Igreja de São Cristóvão, uma sobrevivente ao terramoto de 1755.

A presença do símbolo da cidade de Lisboa é aqui traduzida no corvo, ave que terá acompanhado o barco que transportou os restos mortais de São Vicente até Lisboa.

E ainda muitas outras referências como: as Festas de Lisboa através das bandeirolas, sardinhas e vinho ou a marcha Cheira a Lisboa; a encosta do Castelo com o seu casario; e até a calçada portuguesa

Quando passar por este mural, dedique algum tempo a descobrir os inúmeros pormenores que ainda estão preservados nesta obra efémera que, curiosamente já há quase dez anos, entrou no roteiro dos turistas que nos visitam.

Muro | Festival de Arte Urbana

O Muro – Festival de Arte Urbana de Lisboa de 2019 decorreu na zona norte da cidade, mais concretamente, no Bairro da Cruz Vermelha na Freguesia do Lumiar.

A música foi o tema escolhido e o espaço de intervenção dos artistas urbanos, de várias nacionalidades, não podia ser mais especial do que artérias onde a toponímia é dedicada a cantores, compositores ou instrumentistas.

Deste festival destacamos algumas obras relacionadas com o fado.

Murais Maria Alice – Third

O Fado na Arte Urbana de Lisboa 1
O Fado na Arte Urbana de Lisboa 2
O Fado na Arte Urbana de Lisboa 4
O Fado na Arte Urbana de Lisboa 3
O Fado na Arte Urbana de Lisboa 5
O Fado na Arte Urbana de Lisboa 6
O Fado na Arte Urbana de Lisboa 7
previous arrow
next arrow

Murais Maria Alice de Third; Lumiar

A rua dedicada a Maria Alice, nome artístico de Glória Mendes Leal de Carvalho (1904-1996), recebeu sete intervenções do artista português Third, que se estendem pela Rua Pedro de Queirós Pereira.

Esta homenagem à fadista, muito popular nos anos 30 do século passado, é constituída por murais espalhados por empenas de prédios diferentes.

Para além do retrato da fadista são invocados episódios da sua vida: a sua origem, o seu percurso, incluindo o facto de ter sido uma das primeiras fadistas a ter a sua voz registada em disco, e ainda a alusão a dois dos seus fados de maior sucesso “Fado Menor” e “Perseguição”…

Instalação e Mural – Catarina Glam

Neste festival a artista visual Catarina Glam executou duas peças.

O Fado na Arte Urbana de Lisboa: Instalação Maria Lisboa de Catarina Glam. Esta figura feminina de cabelo apanhado, com xaile preto ao ombro e de brincos em coração de filigrana de Viana, homenageia o fado.
Instalação Maria Lisboa de Catarina Glam; Lumiar

Na rotunda onde confluem a Av. Carlos Paredes, Estrada da Torre, Av. David Mourão-Ferreira e Rua General Vasco Gonçalves, localiza-se a instalação em madeira, denominada Maria Lisboa. Esta figura feminina de cabelo apanhado, com xaile preto ao ombro e de brincos em coração de filigrana de Viana, homenageia o fado.

Mural dedicado ao fado “Nem Às Paredes Confesso” de Catarina Glam
Mural de Catarina Glam; Lumiar

Junto à mesma rotunda, na Estrada da Torre, a personagem da instalação é transposta para a empena de um prédio, num mural dedicado ao fado “Nem Às Paredes Confesso”, celebrizado por Tristão da Silva, entre outros.

Murais – Tvfer

Murais de Tvfer: Num apresenta uma guitarra portuguesa virada ao contrário e noutro, um desenho a preto e branco em homenagem ao destacado guitarrista Raúl Nery.
Murais de Tvfer; Lumiar

Foi também na Estrada da Torre, ao lado do mural de Glam, que o tatuador e ilustrador Tvfer apresentou as suas duas intervenções artísticas num edifício em ruínas. 

Numa apresenta uma guitarra portuguesa virada ao contrário e noutra um desenho a preto e branco em homenagem ao destacado guitarrista Raúl Nery.

Murais na Quinta do Cabrinha

Também em 2019, na Quinta do Cabrinha em Alcântara, foram executadas quatro obras, de quatro artistas diferentes, todas dedicadas ao fado.

Mural Amália Rodrigues de SMILE e mural Celeste Rodrigues de Styler; Quinta do Cabrinha
Mural Amália Rodrigues de SMILE e mural Celeste Rodrigues de Styler; Quinta do Cabrinha

Duas delas já referimos em Personalidades Homenageadas em Arte Urbana de Lisboa. Trata-se de retratos de Amália e de sua irmã Celeste Rodrigues, da autoria de SMILE e de Styler, respectivamente.

Murais alusivos aos instrumentos musicais que acompanham o fado, a guitarra portuguesa e a viola. A imagem da esquerda mostra a pintura do artista português 2CARRYON e a da direita a obra do espanhol Ramon Puig, aka Werens.
Murais de 2CARRYON e de Werens; Quinta do Cabrinha

Os outros dois murais são alusivos aos instrumentos musicais que acompanham o fado, a guitarra portuguesa e a viola. A imagem da esquerda mostra a pintura do artista português 2CARRYON e a da direita a obra do espanhol Ramon Puig, aka Werens

Mural Carlos do Carmo

Mural Menina e Moça, em homenagem a Carlos do Carmo de Mário Belém. Nesta pintura, a “menina e moça”, sentada sobre uma pilha de livros, tem um livro aberto entre as mãos e ao ombro o corvo da cidade. Fazem ainda parte da composição outros símbolos de Lisboa como uma varina, o Santo António, um manjerico, um eléctrico,… e pelo meio um disco em vinil do Carlos do Carmo.
Mural Menina e Moça de Mário Belém; Av. Rio de Janeiro

A homenagem prestada pela Junta de Freguesia de Alvalade a um dos maiores nomes do fado encontra-se na fachada da Biblioteca Manoel Caminha, na Avenida Rio de Janeiro.

Carlos do Carmo, falecido em Janeiro de 2021, é aqui lembrado pelo artista Mário Belém através de um mural. Este foi inspirado numa das canções mais emblemáticas do fadista, Lisboa Menina e Moça, tornada canção oficial da capital após o seu desaparecimento.

Nesta pintura, a “menina e moça”, sentada sobre uma pilha de livros, tem um livro aberto entre as mãos e ao ombro o corvo da cidade. Fazem ainda parte da composição outros símbolos de Lisboa como uma varina, o Santo António, um manjerico, um eléctrico,… e pelo meio um disco em vinil do Carlos do Carmo.

Para além dos elementos referidos, é possível também observar a Torre de Belém, a Sé ou a Ponte 25 de Abril, entre outros monumentos.


O fado na arte urbana de Lisboa não se esgota nos exemplos que acabámos de lhe mostrar. Pela cidade existem outros registos surpreendentes que também merecem a nossa atenção. Descubra-os e partilhe connosco!

O projecto getLISBON tem sido muito gratificante. Queremos continuar a revelar singularidades da apaixonante cidade de Lisboa.

Ajude-nos a manter o projecto vivo!

Para isso, basta usar os links que disponibilizamos para fazer as suas reservas. Não lhe vai custar mais e para nós é uma grande ajuda!

• Encontre os melhores hotéis no Booking.com e usufrua dos 15% ou mais de desconto!
• Ou se preferir escolha entre a vasta oferta de hotéis, apartamento e villas da Accor Live Limitless
• Faça visitas guiadas e outros eventos culturais com a nossa parceira PEDDY+
• Se pretende uma experiência diferente, podemos elaborar um roteiro personalizado de acordo com os seus interesses. Fale connosco!
• Ou se prefere tours e outras actividades em vários destinos, faça a sua escolha na GetYourGuide
• Poupe tempo e dinheiro com o Lisboa Card!
Alugue uma viatura com a Autoeurope e conheça outras regiões de Portugal
• Veja também a vasta oferta de viagens da Agência Abreu

Siga-nos!

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *