Dezembro 12, 2018 getLISBON 0Comment

Brilhantes e coloridas, de formas clássicas ou feitios surpreendentes, as iluminações de Natal de Lisboa enchem a cidade de magia e alegria!

Já são uma tradição os enfeites luminosos nos principais pontos da cidade, desde a Baixa lisboeta, passando pela Avenida da Liberdade até à Praça de Marquês de Pombal. E claro, a zona do Chiado e do Príncipe Real. De ano para ano mais locais da cidade ficam decorados e iluminados, como as Avenidas Novas.

As iluminações de Natal de Lisboa são cada vez mais sofisticadas e deslumbrantes. Estas já eram há décadas uma atracção para os nacionais e lisboetas mas, hoje, tornaram-se um motivo para os turistas escolherem Lisboa para passar esta época especial do ano.

A cidade ganha um movimento extraordinário, são: os mercados de Natal, com produtos variados, muitas vezes artesanais; as feiras com diversões para miúdos e graúdos; as lojas com montras especificamente enfeitadas; a corrida para a compra de presentes e de iguarias para as refeições festivas; os turistas a passearem pelas ruas e a provarem a gastronomia lisboeta

As iluminações de Natal de Lisboa contribuem e muito para toda a animação e alegria desta época festiva.

Mas como é que começou a tradição de enfeitar as árvores e as ruas com luzes?

Luz, Símbolo Universal de Conhecimento

Desde os tempos remotos que a Luz é o símbolo universal associado ao conhecimento, ao poder superior, à iluminação espiritual, às divindades…

Era assim para as civilizações da Antiguidade Pré-Clássica mas também para a Grécia Antiga. Para Platão, a Luz é associada à ideia de Belo, de Bem e de Deus. Os filósofos medievais cristãos desenvolveram estas ideias que se manifestaram na arte através das iluminuras e da estética do vitral.

No Antigo Testamento a Luz é vida, salvação, felicidade. Para os cristãos, Jesus é a Luz do mundo e é através do amor que se caminha para a Luz. Também para o Islão Deus é Luz.

As Primeiras Iluminações de Natal

Bilhete postal, iluminações de Natal, Rossio, década de 60.
Bilhete postal, iluminações de Natal, Rossio, década de 60.
Imagem gentilmente cedida pelo coleccionador Luís Bayó Veiga

A dualidade Luz/Trevas que corresponde aos conceitos de Bem/Mal, é assim ancestral. Os cristãos adaptaram muitas das crenças e tradições enraizadas nos povos pagãos à sua nova realidade. Será a utilização da luz pelos povos do Norte da Europa para celebrar o solstício de Inverno e combater as trevas e os maus espíritos, que estará na origem das iluminações de Natal. As velas e as luzes do Natal cristão simbolizam a renovação e a luz de Jesus.

Também o acto de enfeitar ramos ou árvores para celebrar a fertilidade da natureza é anterior ao cristianismo. Contudo, a árvore de Natal terá a sua origem na região da Alemanha e muitos defendem que teria sido o próprio Martinho Lutero a iniciar esta prática. Seja como for, dada a tradição enraizada nos povos do norte foi desta região da Europa que esta prática se difundiu.

Em meados do séc. XVII a decoração das árvores de Natal passou a incluir iluminação através da utilização de velas de cera. Apesar de se tratar de uma prática perigosa dado o elevado risco de incêndio, esta foi mantida durante muito tempo. Só no final do séc. XIX foram criados os primeiros sistemas de iluminação eléctrica com lâmpadas incandescentes.

Hoje a utilização das iluminações de Natal vai muito além da tradicional árvore que decora as nossas casas. As cidades iluminam-se através da decoração festiva temática das ruas, dos edifícios, do equipamento urbano, das árvores e dos estabelecimentos comerciais.

Iluminações de Natal de Lisboa

Iluminações de Natal, Rossio, 2018
Iluminações de Natal, Rossio, 2018

As iluminações de Natal de Lisboa tiveram início em meados dos anos 50 do séc. XX por iniciativa da CML. A decoração das principais ruas, praças e edifícios públicos da capital continua a ser da responsabilidade da câmara, prática a que se juntam inúmeros privados que assim promovem as suas empresas ou produtos e contribuem para esta tradição que a todos encanta e ilumina.

A inovação e as novas tecnologias estão muito presentes nas actuais iluminações festivas. São compostas por módulos que permitem variar as combinações, de modo a obter motivos diferentes na época seguinte. Este ano em Lisboa, 42 ruas e avenidas receberam iluminações de Natal e foram utilizadas mais de dois milhões de lâmpadas LED, contribuindo para uma poupança energética de 80%.

Apreciem este espectáculo mágico!

Festas felizes! 🙂

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

eighteen + fifteen =