Abril 21, 2021 getLISBON

Os entalados da Lisboa dos anos 50 são elementos escultóricos que marcaram presença na cantaria decorativa das novas construções, da segunda fase de expansão das Avenidas Novas. A fim de valorizar estes novos prédios de rendimento, eram deixados pequenos espaços nas fachadas, geralmente, na parte superior ou na lateral das portas principais, para que fossem decorados. As opções estéticas da época passaram, predominantemente, por esculturas ou relevos de carácter figurativo.  Sabia que estas intervenções decorativas respondiam a uma imposição do plano de urbanização da cidade? Mas qual a origem dos entalados da Lisboa dos anos 50? Onde os podemos encontrar?…

Novembro 25, 2020 getLISBON

Eça de Queiroz é, indiscutivelmente, um dos mais relevantes escritores portugueses de todos os tempos. No dia em que faria 175 anos recordamo-lo, evocando a sua relação com Lisboa. Este escritor, caracterizado pela originalidade, riquezas de estilo e linguagem, grande poder descritivo realista, assim como pela crítica social intemporal, tem a sua obra traduzida em cerca de 20 línguas. É o autor de romances incontornáveis da nossa literatura como: O Crime do Padre Amaro; A Relíquia; A Ilustre Casa de Ramires; O Mandarim; A Cidade e as Serras… Pertencente à corrente realista do séc. XIX é um dos intelectuais da…

Novembro 4, 2020 getLISBON 2Comment

A afirmação de uma Lisboa plural e solidária está presente em marcos simbólicos que encontramos espalhados pela cidade. Em 1945 vivia-se o rescaldo das duas grandes guerras mundiais que provocaram milhões de mortos, destruição, fome e miséria.  Então, delegados de 50 países reuniram-se em São Francisco com o objectivo de, nas suas palavras “… salvar as gerações futuras do flagelo da guerra, que por duas vezes na nossa vida trouxe incalculável sofrimento à Humanidade…”. É neste contexto que são elaborados os trinta artigos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, adoptada pelas Nações Unidas no dia 10 de Dezembro de 1948….

Setembro 23, 2020 getLISBON

Tem ideia da diversidade de arte pública do Jardim do Campo Grande em Lisboa? Preparámos-lhe um roteiro sobre cada uma das peças que pode apreciar neste agradável e histórico espaço verde. A Arte Pública do Jardim do Campo Grande O Jardim do Campo Grande foi reabilitado e rebaptizado em 2018 de Jardim Mário Soares mas continua mais conhecido dos lisboetas pela sua antiga designação.As obras, que então tiveram lugar, permitiram requalificar edifícios e equipamentos, instalar novos recursos e redesenhar espaços verdes.Esta extensa área, de cerca de 13 hectares dividida pela Av. do Brasil em duas zonas (norte e sul), tornou-se…

Setembro 2, 2020 getLISBON

Desvendar a arte pública do Jardim do Príncipe Real foi uma promessa que fizemos no nosso artigo O Jardim do Príncipe Real, Atracções e Curiosidades.Este magnífico jardim romântico que convida a permanecer encerra quatro peças de arte pública que importa conhecer.Trata-se de três homenagens a intelectuais que marcaram o panorama das letras e da política nacionais e um memorial solidário muito recente que talvez ainda não conheça. Monumento a França Borges Monumento a França Borges, do escultor Maximiano Alves A primeira peça de arte pública do Jardim do Príncipe Real que lhe trazemos é a mais antiga, realizada entre 1924…