Fevereiro 21, 2018 getLISBON 4Comment

Há cerca de trinta anos desenvolvemos uma pesquisa sobre a pintura decorativa dos barcos tradicionais do Tejo e tivemos oportunidade de conhecer, à época, um dos últimos pintores populares, o mestre José Lopes. Constatámos que pouco restava deste impressionante legado. Os barcos eram, na sua maioria, fantasmagóricas carcaças enterradas no lodo das praias fluviais da margem Sul. O segredo da sua construção e pintura eram domínio de muito poucos. O interesse pela manutenção destes saberes parecia ser algo que desapareceria em menos de uma geração. Nessa altura, muitos barcos foram até vendidos para o estrangeiro e aí transformados em bares…