PEDDY+, eventos

A Peddy+, microempresa com o RNAAT nº 605/2015, informa todos os seus Clientes que registou a sua declaração de cumprimento das normas que lhe permitem publicitar-se como Estabelecimento Saudável & Seguro.

Organizamos passeios pedestres, visitas guiadas e outros eventos culturais na zona da grande Lisboa. Porque só podemos valorizar aquilo que conhecemos…


13 | Fevereiro | 2020 – sábado (2ª edição)

Se já lhe cansam as “tours” tradicionais e anseia por circuitos totalmente “fora da caixa”, então esta é a “tour” certa para si!

Nesta “tour” musical, iremos começar a nossa viagem no Chiado, perto da estátua de Fernando Pessoa.
De seguida, faremos paragens para escutar vários tipos de música portuguesa que vão desde o século XIII, Cantigas de Amigo, passando pela descoberta do Barroco, Cante Alentejano, Fado e muito mais enquanto falamos de história e visitamos alguns monumentos.
Ao longo do caminho iremos visitar algumas pérolas no Chiado, Largo do Carmo, Restauradores, Baixa e Mouraria.

Guia: Pedro David
Ponto de encontro: Largo do Chiado
Duração aprox.: 2 horas e 30 minutos
Hora: 9h30
Valor de inscrição: 15,00€ por pessoa (crianças até aos 12 anos não pagam desde que acompanhadas por um adulto)
Envie o comprovativo da transferência bancária para: [email protected]
IBAN: PT50 0035 0001 0003 8300 5005 8

voltar ao topo


20 | Fevereiro | 2021 – sábado (2ª edição)

Queremos muito proteger as lojas antigas e únicas que ainda existem em bairros como a Baixa e o Chiado e assim proteger a nossa memória e identidade. Mas será que vamos às compras nestas lojas?

A verdade é que muitas delas nem as conhecemos, e é preciso conhecê-las para nos encantarmos!
Venha descobrir a proposta de um roteiro pelo Chiado e Baixa para visitarmos alguns destes tesouros que ainda resistem e teimam em não desistir!

Guia: Sandra Félix
Ponto de encontro: Praça Luís de Camões
Duração aprox.: 3 horas
Hora: 9h30
Valor de inscrição: 12,00€ por pessoa (crianças até aos 12 anos não pagam desde que acompanhadas por um adulto)
Envie o comprovativo da transferência bancária para: [email protected]
IBAN: PT50 0035 0001 0003 8300 5005 8

voltar ao topo


20 | Fevereiro | 2021 – sábado (2ª edição)

Esgotada a primeira edição, justificava-se mais uma incursão pela Lisboa Oriental, zona da cidade com tanto por descobrir…

Num território ainda em transformação, emergem vestígios do passado rural e industrial de Lisboa evocados neste percurso. A ocasião para descobrir esta Lisboa desconhecida – de armazéns de vinho, operária e portuária, mas com uma “pérola” escondida da arte do século XVI.

Guia: Guilherme Pereira
Ponto de encontro: Praça David Leandro da Silva
Duração aprox.: 2 horas e 30 minutos
Hora: 15h00
Valor de inscrição: 12,00€ por pessoa (crianças até aos 12 anos não pagam desde que acompanhadas por um adulto)
Envie o comprovativo da transferência bancária para: [email protected]
IBAN: PT50 0035 0001 0003 8300 5005 8

voltar ao topo


27 | Fevereiro | 2021 – sábado

Se gosta de música e de história, este é o percurso ideal para si!

Este percurso pedestre vai atravessar os séculos XVIII e XIX durante os quais a cultura e as artes oriundas da Península Itálica invadiram Lisboa, quer através de protagonistas próprios, quer através da italianização de portugueses.
Elas definiram a evolução da música, dos espaços onde ela é fruída, dos modos e dos gostos, acabando por criar uma “Lisboa Italiana”.
O percurso a pé levar-nos-á desde a Ópera do Tejo até ao Teatro da Rua dos Condes, tocando no Bairro Alto e no Teatro Nacional de São Carlos. Também nos levará de Scarlatti a Pacini, tocando em Todi e em Lodi, com História, estórias e música nos ouvidos.

Guia: Luís Correia Lopes
Ponto de encontro: Praça do Município
Duração aprox.: 2 horas e 30 minutos
Hora: 9h30
Valor de inscrição: 15,00€ por pessoa (crianças até aos 12 anos não pagam desde que acompanhadas por um adulto)
Envie o comprovativo da transferência bancária para: [email protected]
IBAN: PT50 0035 0001 0003 8300 5005 8

voltar ao topo


28 | Fevereiro | 2021 – domingo

Mais um percurso pedestre que a Peddy+ organiza em parceria com a STORIC e que não deve de maneira nenhuma perder!

Tal como se dizia no século passado “Vamos daí fazer o Chiado?”.
Vamos percorrer o Chiado e a Baixa, lembrando os passos dos rapazes que no início do século XX fundaram a revista “Orpheu”. Encontros, tertúlias, anseios, esperanças, locais, tudo o que faz uma vida! Irreverentes, contestatários, mas sobretudo e acima de tudo… modernos!!! Terminaremos no Martinho da Arcada.
Este passeio será conduzido pela Professora Hilda Frias, licenciada em História da Arte, mestre em Arte e Património, doutoranda em Museologia e uma verdadeira especialista sobre as temáticas que iremos abordar.

Guia: Hilda Frias
Ponto de encontro: Largo do Calhariz
Duração aprox.: 2 horas e 30 minutos
Hora: 10h00
Valor de inscrição: 15,00€ por pessoa (crianças até aos 12 anos não pagam desde que acompanhadas por um adulto)
Envie o comprovativo da transferência bancária para: [email protected]
IBAN: PT50 0035 0001 0003 8300 5005 8

voltar ao topo


6 | Março | 2021 – sábado (3ª edição)

Mesmo que não seja amaliano ou mesmo apreciador de fado, vai ver que vai amar este percurso musical extraordinário!!!

“Viver Amália” é um tributo pessoal a Amália Rodrigues, que começa na zona onde a fadista nasceu (Calçada de Santana) e termina na Rua de São Bento, junto à Casa onde viveu mais de 40 anos (existe opção de posterior visita guiada à Casa de Amália, com o custo adicional de € 6,00 por pessoa).
Este itinerário singular divide-se em sete capítulos, a saber: “Lisboa 1920”, “Infância e Família”, “O Despertar de Uma Carreira”, “Internacionalização”, “25 de Abril”, “(Con)Sagração” e “Eternização”.
Durante este percurso escutaremos “cantigas” do repertório Amaliano e aspectos mais ou menos conhecidos da vida e obra daquela que continua a ser uma das mais fascinantes e extraordinárias artistas mundiais do século XX.
Se é daqueles que acha que Amália é só fado e mais nada, aceite este nosso convite e talvez fique surpreendido com o que vai ouvir!

Guia: Pedro Vaz
Ponto de encontro: Calçada de Santana, 180
Duração aprox.: 3 horas
Hora: 9h30
Valor de inscrição: 15,00€ por pessoa (crianças até aos 12 anos não pagam desde que acompanhadas por um adulto)Envie o comprovativo da transferência bancária para: [email protected]
IBAN: PT50 0035 0001 0003 8300 5005 8

voltar ao topo


7 | Março | 2021 – domingo (11ª edição)

Um dos percursos pedestres de maior sucesso no ano passado regressa em 2021!

Nos cafés do Rossio e da Avenida da Liberdade, ou nas ruas iluminadas pelos candeeiros e reclames luminosos, diplomatas, espiões, realeza e refugiados cruzam-se, vindos de todos os cantos de uma Europa “às escuras”.
Portugal não participava na Segunda Grande Guerra, mas em Lisboa travam-se batalhas de intriga, oportunismo e traição! Danças e contradanças entre membros das secretas alemãs, britânicas e americanas.
Neste passeio, vamos passar pelos hotéis e cafés, verdadeiros ninhos de espiões, e dar a conhecer a vida boémia de Lisboa numa Europa mergulhada no terror. Vamos conhecer os espiões e espias que influenciaram o rumo da Guerra a partir da Capital numa caminhada nocturna que terá o ambiente certo para falar de esconderijos e perigos!

Guia: Marisa Filipe
Ponto de encontro: Entrada do Hotel Tivoli Avenida
Duração aprox.: 2 horas
Hora: 10h00
Valor de inscrição: 15,00€ por pessoa (crianças até aos 12 anos não pagam desde que acompanhadas por um adulto)
Envie o comprovativo da transferência bancária para: [email protected]
IBAN: PT50 0035 0001 0003 8300 5005 8

voltar ao topo


13 | Março | 2021 – sábado

Após o sucesso que foi o Percurso Pedestre “Do Poço do Bispo a Marvila Antiga”, prosseguimos na descoberta da Lisboa Oriental, ainda com o guia Guilherme Pereira, mas desta feita entre Xabregas e o Beato.

A Zona Oriental de Lisboa teve quintas, hortas e pomares. Teve conventos, igrejas, palácios de reis e nobres. E, no século XIX, fábricas, armazéns e vilas operárias. Neste percurso, descobrem-se as marcas desse passado e os desafios do futuro.

Guia: Guilherme Pereira
Ponto de encontro: Museu Nacional do Azulejo
Duração aprox.: 2 horas e 30 minutos
Hora: 09h30
Valor de inscrição: 12,00€ por pessoa (crianças até aos 12 anos não pagam desde que acompanhadas por um adulto)Envie o comprovativo da transferência bancária para: [email protected]
IBAN: PT50 0035 0001 0003 8300 5005 8

voltar ao topo


10 | Abril | 2021 – sábado

É o quinto percurso mais concorrido da Peddy+ e por isso mesmo não tínhamos como não o reeditar!!!

Nas palavras da historiadora Cristina Leite, “O Pátio é um microcosmos onde tudo parece poder existir e suceder”. Uma vida comunitária muito especial, tantas vezes de grande pobreza.
O século XIX trouxe as Vilas – para os operários de origens rurais. É efetivamente o campo na cidade!
Disfarçados, escondidos, com segredos que só os seus muros sabem, são os Pátios e as Vilas, as aldeias dentro de Lisboa.
Este percurso pedestre tem início frente à entrada principal da Sé, de onde seguiremos para a Colina do Castelo, Graça e São Vicente. O percurso termina em Santa Apolónia, zona onde deverão deixar as viaturas aqueles que pretendam deslocar-se dessa forma.

Guia: Sandra Félix
Ponto de encontro: Largo Santo António da Sé
Duração aprox.: 3 horas
Hora: 10h00
Valor de inscrição: 12,00€ por pessoa (crianças até aos 12 anos não pagam desde que acompanhadas por um adulto)
Envie o comprovativo da transferência bancária para: [email protected]
IBAN: PT50 0035 0001 0003 8300 5005 8

voltar ao topo


 

O Chalet da Condessa D’Edla, localizado na zona ocidental do Parque da Pena, foi construído entre 1864 e 1869, tendo resultado de uma ideia de Dom Fernando II e de Elise Hensler, futura Condessa D’Edla e sua futura segunda mulher.

Seguindo o modelo dos Chalets Alpinos então em voga, destacam-se da decoração deste Chalet as pinturas murais, os estuques, os azulejos e o uso exaustivo da cortiça como elemento ornamental.
O jardim que circunda o Chalet compõe-se não só de vegetação autóctone, mas também de espécies botânicas provenientes dos quatro cantos do mundo, conformando uma paisagem exótica em que se destacam a Feteira da Condessa, o Jardim da Joina, o Caramanchão e os lagos.
Na sequência de um minucioso processo de recuperação e restauro (apoiado pela EEA Grants), o Chalet e Jardim da Condessa D’Edla veio a ser reaberto ao público em 2011.
De referir ainda a classificação como Imóvel de Interesse Público ocorrida em 1993, integrando-se na Paisagem Cultural de Sintra, classificada pela UNESCO como Património Mundial da Humanidade desde 1995.
Em 2012 o projecto de recuperação do Chalet e Jardim da Condessa D’Edla recebeu o Prémo do Turismo de Portugal para Novo Projecto Público, bem como o Prémio Grémio Literário. No ano seguinte foi-lhe ainda atribuído o Prémio União Europeia para o Património Cultural-Europa Nostra 2013, na categoria “Conservação”.

voltar ao topo


 

Para alguns esta poderá parecer uma visita inusitada, mas a verdade é que o Cemitério dos Prazeres pode ser visto como um autêntico “museu a céu aberto” desconhecido da maioria dos lisboetas e de onde se pode apreciar uma das mais belas vistas sobre a cidade…

Construído em 1833 na sequência de uma grande epidemia (“cólera morbus”), este cemitério é constituído por inúmeros jazigos onde se encontram sepultadas personalidades como Mário Cesariny, Natália Correia, Vasco Santana, Carlos Paredes ou Ofélia Queiroz, a única namorada oficial de Fernando Pessoa.
É aqui também que se pode apreciar o maior jazigo privado da Europa, o Jazigo Palmela, idealizado pelo arquitecto Giuseppe Cinatti e mandado construir em 1847 por Pedro de Sousa Holstein, o primeiro Duque de Palmela.
Aceite este convite da Peddy+ e no final verá como a sua forma de encarar estes locais vai mudar completamente!

voltar ao topo


 

Após uma primeira edição em que atingimos o pleno, não podíamos deixar de repetir esta visita que só a Peddy+ lhe oferece.

Participe nesta visita única, onde iremos desvendar espaços da igreja de São Roque que não imaginaria existirem.
Nesta experiência poderá conhecer o sistema de cobertura da igreja, aceder ao coro-alto, percorrer galerias escondidas, descobrir o trono eucarístico e deslumbrar-se com a vista sobre a cidade, a partir dos seus torreões.
A Arte e a História esperam por si!


 

Depois do grande êxito que foi a primeira edição desta visita em novembro passado, não podíamos deixar de atender aos inúmeros pedidos para repetir este evento fantástico!

Também conhecido como Paço da Rainha, o Palácio da Bemposta alberga, desde meados do século XIX, a Academia Militar.
Deve-se a D. Catarina de Bragança, viúva de D. Carlos de Inglaterra, a construção deste Palácio, na sequência do seu regresso a Portugal no ano de 1693. Em 1705, D. Catarina morre e deixa este Palácio em testamento a seu irmão, o rei D. Pedro II.
Mais tarde, em 1707, D. João V doou à Sereníssima Casa do Infantado todas as dependências do Palácio e Quinta da Bemposta, razão pela qual nele vieram a habitar alguns infantes como o Infante D. Francisco (irmão de D. João V) ou o Infante D. Pedro III (irmão de D. José).
Com o terramoto de 1755, o Palácio sofreu muitos danos, tendo sido imediatamente iniciada a sua reconstrução, assinada por Manuel Caetano de Sousa, que revelou alguma originalidade, sobretudo na nave e no vestíbulo rectangular, na existência do arco triunfal e no pavimento em mosaico policromático.
Em junho de 1821, na sequência do regresso da família real do Brasil, D. João VI voltou para o Palácio da Bemposta no qual, com o objectivo de o tornar mais habitável, entendeu mandar realizar diversas obras, sobretudo nos quartos por detrás da Capela e no andar nobre voltado para o jardim.
Foi neste Palácio que se desenrolaram os factos políticos mais importantes do reinado de D. João VI, como sejam os decorrentes da chamada Vila-Francada e os da Abrilada, tendo aquele monarca aqui falecido em 10 de março de 1826.
Após a extinção da Sereníssima Casa do Infantado, decretada a 18 de março de 1834, o Paço da Rainha voltou para as mãos da Coroa, tendo D. Maria II entendido destinar o Palácio e a Quinta à Escola do Exército, fundada em 12 de janeiro de 1837 pelo General Bernardo de Sá Nogueira de Figueiredo, Marquês de Sá de Bandeira.
Este último é responsável por grandes obras de alteração dos espaços do Palácio, de modo a servir a nova utilização do edifício, a Academia Militar.

voltar ao topo


A pedido de muitas famílias, e porque o bom tempo convida a bons passeios, a Peddy+ oferece mais uma oportunidade de fazer este percurso tão do agrado dos lisboetas (e não só!)…

Porventura já se imaginou a caminhar no subsolo da cidade de Lisboa, entre o Jardim das Amoreiras e o Miradouro de São Pedro de Alcântara, percorrendo assim cerca de 1.200 metros sempre debaixo do asfalto?
É isso mesmo que propomos que faça nesta visita subterrânea à Galeria do Loreto, uma das cinco galerias que integravam o sistema do Aqueduto das Águas Livres e que, graças ao Museu da Água, é possível ser visitada de algum tempo a esta parte.
Antes de chegar ao ponto de partida da visita, situado na Mãe d’ Água, faremos o mesmo trajeto mas à superfície, partindo do Miradouro de São Pedro de Alcântara. Só depois disso, e de uma breve introdução histórica, daremos início ao trajeto subterrâneo.
Este trajeto tem o seu início na Casa do Registo (contígua ao Reservatório da Mãe d’Água das Amoreiras) descendo no alinhamento da Rua das Amoreiras até ao Largo do Rato. Passa, depois, no mesmo alinhamento da Rua da Escola Politécnica e da Rua D. Pedro V, prosseguindo ainda pela Rua da Misericórdia, Largo do Chiado, Rua Paiva de Andrade e terminando, por fim, no Largo de São Carlos.
De referir que, junto ao antigo Colégio dos Nobres, actual Museu de História Natural, existia uma pia de onde saía água para a Imprensa Régia e para o Chafariz do Monte Olivete (antigo Chafariz do Arco de São Bento) e, no alinhamento com a Travessa da Mãe d’Água, existia uma pia quadrada em cantaria, denominada Pia do Penalva, onde se separavam as águas que seguiam para o Aqueduto do Século (Formosa) e para o Aqueduto da Praça da Alegria (Cotovia), cujo prolongamento abastecia um fontanário do passeio público.
Esta galeria abasteceu alguns estabelecimentos públicos onde se destaca a Imprensa Nacional, o Passeio Público, a Misericórdia, o recolhimento de S. Pedro de Alcântara, o Passeio de S. Pedro de Alcântara e o Quartel da Guarda Municipal do Carmo.

voltar ao topo


 

Este é talvez o maior fenómeno de sempre em termos de visitas com encenações de época alguma vez visto! Mais de 600 pessoas tiveram esta experiência sublime! Venha daí você também!

Pé ante pé vamos fazer uma visita a todos os recantos do Palácio de Queluz, ouvir a sua história, ver pessoas de outra época. Vamos ouvir cantar, tocar e dançar músicas de setecentos. Saber como ali se realizava grandes festas, que vestidos e outros trajes se usavam neste espaço de enorme beleza e requinte. Vamos aprender que os príncipes e infantes não iam à escola mas tinham muitas matérias para aprender. Que outras surpresas haverá para descobrir?
Este evento é um exclusivo Peddy+ em parceria com a Parquesdesintra, cuja realização está condicionada a um número mínimo de 30 participantes.
Conforme informação disponibilizada pela Parquesdesintra, trata-se de uma atividade recomendada para famílias com crianças entre os 5 e os 12 anos e requer inscrição e pagamento prévio.

voltar ao topo