Outubro 10, 2018 getLISBON 1Comment

Vencer as colinas era um dos problemas de acessibilidade na Lisboa do século XIX. Os elevadores e funiculares de Lisboa vieram resolver este problema, e hoje os que ainda existem, estão classificados desde 2002 como Monumentos Nacionais.

O relevo de Lisboa é caracterizado por colinas separadas por vales onde outrora corriam ribeiras que desaguavam no Tejo. Esta característica é tão acentuada que é até conhecida por cidade das Sete Colinas. Com o tempo a cidade foi conquistando espaço às ribeiras, mas se observarmos com atenção percebemos as suas marcas. Talvez se surpreenda se lhe dissermos que onde actualmente se situam a Avenida Almirante Reis, a Avenida da Liberdade ou a Avenida de Ceuta outrora passaram ribeiras. Contudo é evidente que todas estas avenidas se estendem por vales que separam colinas.

Ora quando o transporte de pessoas e bens era exclusivamente feito a pé ou em veículos de tracção animal, podemos imaginar como o perto se tornava longe quando era necessário vencer acentuados declives.

Raoul Mesnier Ponsard

A expansão urbana de Lisboa a partir do final da década de 70 do século XIX, associada a novas tecnologias e à arquitectura do ferro, permitiu colmatar o problema. Em 1882 a CML – Câmara Municipal de Lisboa aprovou uma licença de construção e exploração de elevadores e funiculares movidos a tracção mecânica, ao engenheiro portuense de origem francesa Raoul Mesnier Ponsard (1848-1914).

Foi este engenheiro o responsável pelo projecto de todos os elevadores e funiculares de Lisboa, assim como de idênticos projectos em Braga, no Porto, na Nazaré e no Funchal. Ao contrário do que se costuma dizer não consta haver registo de que este engenheiro tenha sido aluno ou tenha trabalhado com o famoso Gustave Eiffel (1832-1923). Seja como for, Ponsard conheceria a obra de Eiffel e é até provável que o tenha conhecido. Tanto porque Ponsard estudou em Paris, como porque Eiffel viveu no norte de Portugal entre 1875 e 1877 e aqui deixou vasta obra.

Seja como for, o certo é que a Raoul Mesnier Ponsard se deve a concepção dos elevadores e funiculares de Lisboa.

Vencer Andares ou Desníveis

Funiculares em Lisboa? Geralmente chamamos-lhes ascensores!

Cabe agora um esclarecimento: elevadores e ascensores são termos sinónimos e referem-se a um aparelho mecânico que eleva ou ascende verticalmente pessoas ou carga a vários pisos de um edifício. Já um funicular é um veículo que se move por meio de cabos num plano inclinado e permite ultrapassar grandes desníveis.

Assim, e em bom rigor, quando nos referimos ao de Santa Justa falamos de um elevador, quando nos referimos ao do Lavra, ao da Glória e ao da Bica o termo correcto é funicular mas como estes são geralmente apelidados de ascensores assim os trataremos daqui em diante.

Desfeita a confusão vamos então passar a conhecer os elevadores e funiculares de Lisboa.

Elevadores e Funiculares de Lisboa

Chegaram a ser oito os elevadores e funiculares de Lisboa:

  • Ascensor do Lavra – 1884
  • Ascensor da Glória – 1885
  • Ascensor Camões/Estrela – 1890 /desmantelado em 1913
  • Ascensor da Bica – 1892
  • Ascensor da Graça – 1893 /desmantelado em 1909
  • Elevador de São Julião – 1897 /desmantelado em 1915
  • Ascensor de São Sebastião1899 /desmantelado em 1901
  • Elevador de Santa Justa – 1902

O funcionamento dos funiculares ou ascensores consistia num sistema de cremalheira e cabo por contrapeso de água. Este sistema era pouco eficaz pois a cidade de Lisboa sofria de frequentes cortes no abastecimento de água o que levava ao condicionamento da utilização destes equipamentos.

Foi por este motivo que o sistema foi num primeiro momento substituído por uma máquina a vapor e pouco depois, a partir de 1912, definitivamente electrificado.

Alguns destes equipamentos não duraram muito tempo tendo sido substituídos por carros eléctricos. É o caso dos ascensores Camões/Estrela, Graça e São Sebastião.

Os 4 Equipamentos Monumentos Nacionais e os Seus Percursos

Ascensor do Lavra

Elevadores e Funiculares de Lisboa: Ascensor do Lavra, 2018

O ascensor do Lavra situa-se na Calçada do Lavra e faz a ligação no sentido ascendente entre o Largo da Anunciada e a Rua Câmara Pestana na Colina de Santana.

É o mais antigo dos elevadores e funiculares de Lisboa.

Ascensor da Glória

Lifts and Funiculars of Lisbon: Glória Funicular, 2018

O ascensor da Glória situa-se na Calçada da Glória e faz a ligação no sentido ascendente entre a Praça dos Restauradores e a Rua de São Pedro de Alcântara no Bairro Alto.

Em 1926 a exploração destes equipamentos passou da Companhia de Ascensores Mechanicos de Lisboa para a Companhia de Carris de Ferro de Lisboa. Nessa altura foi construído, do lado da Praça dos Restauradores, um abrigo para os passageiros de que hoje lamentavelmente só restam fotografias.

Arquivo Municipal de Lisboa; Abrigo e bilheteira do Elevador da Glória; 1931; Eduardo Portugal (1900-1958); PT/AMLSB/POR/019504

O abrigo terá sido retirado em 1937, alegadamente por ter sofrido críticas por parte da opinião pública.

Parece pouco provável que, por um lado a opinião pública fosse uma força nesse tempo, e por outro que os utentes do equipamento tivessem preferido ficar sujeitos às intempéries. Talvez o abrigo precisasse de obras de manutenção e tenha sido mais fácil e económico proceder à sua remoção. De uma forma ou de outra, assim se perdeu uma magnífica peça de mobiliário urbano que com certeza enriquecia e embelezava a cidade.

Mais tarde foi colocado um simples telheiro em chapa que para além de inestético não cumpria eficazmente as suas funções. Hoje não existe qualquer abrigo.

Ascensor da Bica

Elevadores e Funiculares de Lisboa: Ascensor da Bica, 2018

O ascensor da Bica situa-se na Rua da Bica de Duarte Belo e faz a ligação, no sentido ascendente, entre a Rua de São Paulo e o Largo do Calhariz no Bairro Alto.

Este ascensor que atravessa uma das consideradas mais belas ruas do mundo sofreu durante as suas obras de electrificação, na década de 10 do século XX, um aparatoso acidente que o deixou inactivo por longos anos. Mas em 1923 a CML exigiu à companhia que explorava este equipamento o retomar do seu funcionamento.

Elevador de Santa Justa

Elevadores e Funiculares de Lisboa: Elevador de Santa Justa, 2018

O Elevador de Santa Justa situa-se na Rua de Santa Justa e faz a ligação, no sentido ascendente, entre a Rua do Ouro e o Largo do Carmo.

É actualmente um dos raros exemplares de Arquitectura do Ferro em Lisboa. Destaca-se não só por constituir uma elevada torre, toda em ferro, implantada no meio dos sóbrios edifícios da Baixa Pombalina, mas também pela magnífica decoração de estilo revivalista neo-gótico. Para além de elevador constitui em si um miradouro.

Elevadores e Funiculares de Lisboa: Pormenor Decorativo do Elevador de Santa Justa, 2018

Este elevador perdeu desde há algum tempo o seu carácter funcional. É bem verdade que ainda liga a Baixa ao Carmo, mas hoje só turistas o frequentam, esperando em longas filas a sua vez de entrar nas belas cabines revestidas a madeira e espelhos, para no último piso usufruir de uma vista privilegiada sobre o centro histórico da cidade e o rio.

Se não tiver paciência para esperar, pode aceder ao passadiço pelos Terraços do Carmo e não chegando ao topo, ainda assim, deslumbrar-se com o centro de Lisboa a seus pés.
Para uma ligação mais funcional existe à disposição um novo elevador, o Elevador do Carmo que faz a ligação entre a Rua do Carmo nº79 e os Terraços do Carmo com acesso gratuito.

O Século XXI Trouxe Mais um Elevador, o Castelo de São Jorge-Baixa

Elevadores e Funiculares de Lisboa: Elevador Castelo de São Jorge-Baixa

Em 2013 foi inaugurado um novo equipamento que ajudou a vencer a mais alta elevação da cidade, a colina do Castelo. Trata-se de dois elevadores que se complementam e que sem dúvida facilitam a íngreme subida à zona do Castelo de São Jorge. Foram encomendados pela CML e projectados pelo atelier do arquitecto João Pedro Falcão de Campos.

Elevadores e Funiculares de Lisboa: Elevador Castelo de São Jorge-Baixa

No sentido ascendente encontramos um primeiro elevador inserido num edifício pombalino na Rua dos Fanqueiros nº178, que faz a ligação com a Rua da Madalena. Um segundo elevador que se encontra no edifício do antigo mercado do Chão do Loureiro eleva-nos, por sua vez, à Costa do Castelo. A sua utilização é gratuita.

Percorra as colinas de Lisboa tirando partido dos elevadores e funiculares de Lisboa.

Estes equipamentos ajudam-no a vencer declives e ao mesmo tempo proporcionam-lhe uma curiosa experiência com tanta história para contar.

One thought on “Elevadores e Funiculares de Lisboa

  1. Para completar o vosso interessante artigo sobre os elevadores / ascensores antigos de Lisboa, eles eram no total 9, existindo actualmente 4 a funcionar.

    Por lapso não referiram o elevador do Chiado, como era conhecido, inaugurado em 15 de Fevereiro de 1892, que ligava a Rua do Crucifixo à Rua (Nova) do Carmo, e que estava inserido no interior dos antigos armazéns do Chiado, e portanto foi construído por iniciativa particular, não cabendo à CMLisboa a responsabilidade das vistorias técnicas e sua manutenção.

    No que respeita aos novos elevadores de Lisboa, será também de referenciar o Elevador de Santa Luzia, que liga o miradouro de Santa Luzia à rua Norberto Araújo em Alfama e, tal qual o elevador do Castelo, encontra-se inserido dentro de prédio antigo restaurado para o efeito.
    De resto, mais um excelente artigo sobre Lisboa. Parabéns!

    Luís Bayó Veiga

    1. Muito obrigada pela sua atenta contribuição para a valorização do nosso artigo.
      Assim que for oportuno daremos lugar à actualização do mesmo.
      É da reunião de saberes que se faz mais e melhor, em muito lhe agradecemos!

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

12 − 2 =