Junho 24, 2020 getLISBON 0Comment

O Jardim do Príncipe Real é um dos mais bonitos jardins de quarteirão, de estilo romântico com as suas espécies vegetais exóticas e os palacetes de gosto eclético que o envolvem.

A zona do Príncipe Real situa-se a meio caminho entre as Amoreiras e o Cais do Sodré e é considerado um dos bairros mais cosmopolitas da cidade.

Restaurantes populares ou gourmet, bares, cafés, lojas com história ou conceitos alternativos e a proximidade do Bairro Alto são razões mais do que suficientes para uma deslocação a este local.

Mas vamos dar-lhe muitos outros motivos, entre eles dois equipamentos urbanos antigos, um deles já desaparecido.

Breve Enquadramento Histórico

Vista da Rua da Escola Politécnica.
Vista da Rua da Escola Politécnica

Esta zona, um planalto conhecido desde o séc. XV por Alto da Cotovia, foi ao longo dos séculos sofrendo vicissitudes.

Os palacetes que estiveram projectados, por uma ou outra razão, não se chegaram a realizar e durante algum tempo este lugar privilegiado de bons ares não passou de uma lixeira do Bairro Alto.

Após o terramoto de 1755 aqui estiveram acampados os regimentos militares da província que vieram em auxílio da população de Lisboa.

A Basílica Patriarcal, então recentemente construída junto ao rio Tejo, havia ruído e é aqui que irá ser edificada a nova Patriarcal cujas obras terminaram em 1761. Mas apenas oito anos depois, um incêndio destruiu uma parte deste edifício e passados dois anos um outro de grandes dimensões acabou com o que havia restado. O local passa a ser conhecido por Patriarcal Queimada.

Vista do Jardim do Príncipe Real
Vista do Jardim do Príncipe Real

Só em meados do séc. XIX se iniciam os projectos que resultarão na actual feição do espaço com as construções do Reservatório de Água da Patriarcal, do grande tanque e do jardim, obras concluídas em 1863.

A designação deste local foi mudando ao longo dos tempos e em 1859 a praça ganhou o nome oficial de Príncipe Real. De 1911 a 1919, no contexto da República, o nome passou para Praça do Rio de Janeiro e o espaço ajardinado para Jardim França Borges.

Contudo hoje a zona, a praça e o jardim voltaram a adoptar a antiga designação de Príncipe Real.

Atracções do Jardim do Príncipe Real

Mercado Biológico que se realiza todos os sábados de manhã
Mercado Biológico do Príncipe Real

O Jardim do Príncipe Real tem um carácter orgânico, aparentemente espontâneo de canteiros sinuosos que se desenvolvem em volta de um grande tanque octogonal. Caracterizam-no a presença de espécies vegetais exóticas de grandes dimensões.

Entre outras merecem destaque as impressionantes árvores-da-borracha e o ex-líbris do jardim, um cedro-do-buçaco (Cupressus lusitanica) cuja imensa copa é suportada por uma estrutura metálica, formando uma área de sombra com 20 metros de diâmetro. Esta foi a primeira árvore a ser classificada de interesse público em Lisboa, em 1940.

O jardim dispõe de parque infantil, quiosques de bebidas e restaurante.

Mas há mais razões para uma visita:

  • O Reservatório da Patriarcal no subsolo do jardim que faz parte do Museu da Água;
  • O Mercado Biológico do Príncipe Real que se realiza todos os sábados de manhã e onde pode encontrar uma vasta variedade de produtos alimentares, hortícolas e artesanais, vendidos pelos seus produtores;
  • A Feira de Antiguidades, Velharias e Artesanato do Príncipe Real que tem lugar nos últimos sábados e segundas-feiras de cada mês.

Ficou com vontade de visitar Lisboa? Príncipe Real é de facto uma excelente zona para a sua estadia. Encontre aqui os melhores alojamentos.

Curiosidades

Tempo ainda para lhe chamar a atenção para dois curiosos equipamentos urbanos antigos que já abordámos.
Em A Arte e o Design nos Quiosques WC de Lisboa falámos-lhe de um equipamento urbano de 1913 de que é ainda possível apreciar quatro exemplares.
Nesse mesmo artigo revelámos-lhe que através de fotografias antigas conseguimos identificar um quinto quiosque WC no Jardim do Príncipe Real, como atesta claramente a fotografia captada aquando da inauguração do busto de Sousa Viterbo, em 1950.
Lamentavelmente desconhecemos o ano da sua demolição e o destino dos azulejos que o adornavam, provavelmente da autoria do pintor J. Pinto.
Quiosque WC no Jardim do Príncipe Real ainda visível na Cerimónia de inauguração do busto de Sousa Viterbo, em 1950
Arquivo Municipal de Lisboa; Inauguração do busto de Sousa Viterbo da autoria de Francisco dos Santos; 1950; Claudino Madeira; PT/AMLSB/CMLSBAH/PCSP/004/MAD/000002

No Jardim do Príncipe Real pode ainda observar um dos fontanários-bebedouros da Sociedade Protectora dos Animais oferecidos à cidade por Júlio Andrade em 1882. Este encontra-se a funcionar mas merecia melhor estado de conservação.
Fontanário-bebedouro da Sociedade Protectora dos Animais no Jardim do Príncipe Real, oferecidos à cidade por Júlio Andrade em 1882
Fontanário-bebedouro da Sociedade Protectora dos Animais no Jardim do Príncipe Real

Precisa de mais razões para re/visitar este magnífico jardim? 😉


Este artigo pode conter links afiliados.

O projecto getLISBON tem sido muito gratificante. Queremos continuar a revelar singularidades da apaixonante cidade de Lisboa.

Ajude-nos a manter o projecto vivo!

Para isso, basta usar os links que disponibilizamos para fazer as suas reservas. Não lhe vai custar mais e para nós é uma grande ajuda!

• Encontre os melhores hotéis no Booking.com
• Encontre os melhores voos no Skyscanner
• Faça visitas guiadas e outros eventos culturais com a nossa parceira PEDDY+
• Se pretende uma experiência diferente, podemos elaborar um roteiro personalizado de acordo com os seus interesses. Fale connosco!
• Ou se prefere tours e outras actividades em vários destinos, faça a sua escolha na GetYourGuide
• Poupe tempo e dinheiro com o Lisboa Card!
Alugue uma viatura com a Autoeurope e conheça outras regiões de Portugal
• Veja também a vasta oferta de viagens da Agência Abreu

Siga-nos!

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

two × 5 =