Setembro 5, 2018 getLISBON 0Comment

Em Setembro Lisboa continua em festa, desta vez em Carnide! Conheça a tradição das Festas e o surpreendente património da Igreja de Nossa Senhora da Luz.

Tem um mês para usufruir da centenária feira, escolher o concerto de música que mais lhe agradar e obrigatoriamente descobrir o segredo que a Igreja da Nossa Senhora da Luz encerra.

Saiba primeiro um pouco das origens de Carnide, da Igreja e das festividades associadas a este lugar de antigas romarias e milagres.

 

Carnide, Produtor de Pão e Lugar de Cura Milagrosa

A ocupação do limite norte da cidade de Lisboa é anterior à romanização. Correspondia a uma área particularmente fértil que permitia alimentar de pão a população de um vasto território  e ainda fornecer diariamente de frescos a cidade de Lisboa.

Organizava-se em pequenos povoados dispersos e em propriedades agrícolas de grande dimensão.

Carnide é um destes povoados, na nossa Lisboa Norte, que até 1885 pertenceu à extinta Câmara Municipal de Belém.

Brasão da Extinta Câmara Municipal de Belém existente no Largo da Luz
Brasão da extinta Câmara Municipal de Belém existente no Largo da Luz

Zona de bons ares era muito procurada para tratamento e recuperação de doentes. Membros da nobreza e até os reis D. Afonso V e D. João II viram aqui os seus males serem tratados. Em tempos de fome, epidemias ou para convalescer de campanhas de guerra, os nobres aqui se refugiavam nas suas propriedades agrícolas junto à Serra da Luz e à fonte de águas milagrosas que se dizia terem o dom de curar maleitas de pele e olhos.

A povoação desenvolveu-se segundo um eixo, ainda hoje muito evidente, que ligava dois lugares fundamentais: De um lado a Igreja paroquial de São Lourenço do século XIV, muito transformada mas ainda existente, no limite ocidental do núcleo histórico de Carnide; do lado oposto a Fonte Machada ou Machado de que já se falava no século XIII, que se localizava exactamente onde hoje se encontra a Igreja da Nossa Senhora da Luz.

Sugerimos que visite o núcleo histórico de Carnide e aprecie um dos Coretos de Lisboa.

Junto à Igreja existia uma gafaria e uma ermida dedicada ao Espírito Santo cujo culto atraía muitos romeiros que ali se dirigiam, vindos das redondezas mas também de longe. Tinham particular devoção os marinheiros e pescadores, que em 1437 tomaram a iniciativa de passar a realizar anualmente uma procissão.

 

Culto e Lenda da Senhora da Luz

O culto da Senhora da Luz teve início no ano de 1463.

Conta-se que Pêro Martins, um natural de Carnide recrutado para combater no norte de África, ali terá ficado cativo. Nossa Senhora ter-lhe-á aparecido prometendo salvá-lo. De regresso à pátria o devoto soldado terá voltado a ver a Virgem envolta em muita luz junto à Fonte das milagrosas águas e ali mesmo iniciou a construção de uma nova ermida dedicada a Nossa Senhora da Luz. Um ano após a edificação da ermida iniciou-se a romaria que desde então se realiza no final do Verão e que culmina com uma procissão.

Inscrição no exterior da Igreja da Nossa Senhora da Luz
Uma inscrição no exterior da igreja revela-nos a história do cativeiro de Pêro Martins e da sua visão da Senhora a que chamou da Luz

Este empreendimento contou com o apoio de vultos importantes da nobreza e até os membros da família real que ao longo dos tempos foram participando nas festividades e manifestações religiosas.

Rapidamente o culto à Senhora da Luz se sobrepôs ao do Espírito Santo. Chegando, em 1918, a centenária sede da paróquia de Carnide a transitar da antiga Igreja de São Lourenço para a Igreja da Nossa Senhora da Luz.

 

Património Secreto na Igreja da Nossa Senhora da Luz

O que resta da pequena ermida do século XV em estilo tardo-gótico, construída por Pêro Martins, é um dos segredos da cidade de Lisboa.

Quem hoje visita a actual igreja não adivinha que é ainda possível observar, numa cota mais baixa, o que resta do portal da primitiva fonte de mergulho e alguns magníficos azulejos hispano-árabes de aresta e de majólica que, se pode dizer milagrosamente, sobreviveram às vicissitudes do tempo.

Portal tardo-gótico e azulejos hispano-árabes - Igreja Nossa Senhora da Luz
Portal tardo-gótico e composição feita com azulejos hispano-árabes resultante de restauro

Estes vestígios só por si justificam uma deslocação à Igreja da Nossa Senhora da Luz. Dirija-se à secretaria no interior da igreja e peça para ver o local destas preciosidades.

 

Património Edificado: Antigo Hospital da Luz e Igreja da Nossa Senhora da Luz

No século XVI a Infanta D. Maria, a Sempre Noiva, (1521/1577) filha do rei D. Manuel, deixou em testamento rendas e bens para que se construísse no lugar da gafaria e da velha ermida do Espírito Santo um grande hospital e uma nova igreja que escolheu como local para se fazer sepultar.

Inscrição no exterior da Igreja da Nossa Senhora da Luz
Numa segunda inscrição é revelada a vontade da Infanta D. Maria construir uma nova igreja em louvor da Senhora da Luz

O Antigo Hospital da Luz foi então inaugurado em 1618 já após o falecimento da Infanta, para apoiar os peregrinos e enfermos que acorriam a este lugar. Falamos do grande edifício de três pisos e fachada clássica cujo corpo central é rematado por um frontão triangular, actuais instalações do Colégio Militar.

Antigo Hospital da Luz, Actual Colégio Militar

Quanto à Igreja trata-se da que hoje se impõe no local dedicada à Nossa Senhora da Luz. Obra notável projectada por Jerónimo de Ruão em 1575 mas concluída já durante a dinastia filipina.

É um grande edifício maneirista de influência italiana de fachada sóbria reconstruída no século XIX. Destaque para o interior onde nos aguarda um grande retábulo, pintado em 1590, da autoria de Francisco Venegas e Diogo Teixeira e a campa rasa da Infanta D. Maria.

Igreja da Nossa Senhora da Luz

O terramoto de 1755 danificou grande parte do edifício tendo a sua reedificação e restauro do interior tido lugar entre 1870 e 1890.

Atente ainda no trabalho de calçada portuguesa existente no adro da igreja sem dúvida um magnífico exemplar desta original arte.

Calçada Portuguesa - Igreja da Nossa Senhora da Luz

 

Feira, Festas e Festividades Religiosas

As Festas de Lisboa realizam-se em torno da devoção a Santo António e têm lugar durante todo o mês de Junho. Mas Carnide mantém, como se de uma povoação independente e ainda rural se tratasse, as suas festividades ligadas ao culto da Senhora da Luz em tempo de fim de colheitas. Setembro é por isso mês de festa, feira e festividades religiosas.

A devoção e romaria da Senhora da Luz tiveram grande projecção nos séculos  XVI e XVII. Reuniam a população rural das redondezas desde Mafra e Sintra, a nobreza que por aqui veraneava, representantes da família real e população de Lisboa em geral. Todos acorriam para ver passar a imagem de Nossa Senhora no cortejo que percorria as ruas de Carnide.

A feira surge naturalmente para fazer face às necessidades das pessoas reunidas acabando também por se constituir como um pólo económico importante. Aqui se transaccionavam os produtos frescos e o artesanato da região com ênfase para os barros e a cestaria e chegou a ter particular importância a compra e venda de gado.

As festas não dispensavam ainda manifestações culturais e de entretenimento como o teatro de rua, os jogos populares e os piqueniques.

Arquivo Municipal de Lisboa; Feira no Largo da Luz, Carnide; 19–; Paulo Guedes (1886-1947); PT/AMLSB/CMLSBAH/PCSP/004/PAG/000028

Hoje, a feição de Carnide é obviamente urbana, mas a feira e as festividades mantêm-se vivas.

Durante todo o mês de Setembro, o Largo da Luz é ocupado por esta grande feira onde encontra todo o tipo de produtos, comes e bebes e divertimentos. Os concertos de música reúnem artistas portugueses transversais a várias estéticas e constituem um grande atractivo. A procissão com que culminam as festas é uma das mais grandiosas da cidade de Lisboa.

Participe nas festas e visite a Igreja de Nossa Senhora da Luz, uma tradição centenária e um património quase secreto a descobrir.

 

0 thoughts on “As Festas da Senhora da Luz e o Seu Surpreendente Património

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

three × five =