Fevereiro 5, 2020 getLISBON 2Comment

7 sinais de Lisboa em Macau? Sim, a getLISBON viajou até ao oriente e aproveitou para fazer uma espécie de reverso de um artigo já publicado, que relaciona estas duas cidades… 

Anteriormente em 7 Sinais de Macau em Lisboa fizemos uma breve abordagem sobre a ligação histórica entre Macau e Portugal e identificámos alguns locais na cidade das sete colinas onde se encontram referências ao antigo território de administração portuguesa.

Neste artigo o olhar é inverso.

Os 7 Sinais de Lisboa em Macau Seleccionados 

No passado dia 22 de Dezembro de 2019 completaram-se 20 anos sobre a passagem da soberania do território de Macau, de Portugal para a China.

Após estes anos, as raízes portuguesas permanecem visíveis por toda a cidade através da arquitectura, da toponímia, da gastronomia…

Neste artigo pretendemos mostrar-lhe sinais de Lisboa em Macau. Dos que elegemos, alguns surgiram recentemente, outros remetem-nos à história mais distante, mas todos constituem singularidades que vai gostar de conhecer.

Gruta de Camões

Um dos 7 sinais de Lisboa em Macau: monumento a Luís de Camões, Jardim Luís de Camões, Macau. O busto em bronze de 1861, é da autoria de Manuel Maria Bordalo Pinheiro (1815-1880).
Monumento a Luís de Camões, Jardim Luís de Camões, Macau

Tal como em Lisboa também em Macau encontramos uma homenagem, promovida no séc. XIX, ao famoso poeta Luís de Camões (1524-1580).

O monumento localiza-se no jardim público com o seu nome, um dos mais antigos de Macau. Este foi propriedade do comerciante português Lourenço Marques, criado em meados do séc. XVIII como jardim anexo à sua mansão.

Para enaltecer a obra do grande poeta, que terá escrito parte dos Lusíadas neste longínquo lugar do oriente, foi encomendado um busto em sua memória. Segundo informação disponível o primeiro monumento data de 1840, mas, por variados motivos, foi sendo substituído ao longo dos tempos. 

O monumento actual terá sido o quarto e é composto por um conjunto de rochedos facetados. Um horizontal colocado sobre dois verticais, formando uma gruta que emoldura um pedestal com o busto em bronze de Luís de Camões. Este, de 1861, é da autoria de Manuel Maria Bordalo Pinheiro (1815-1880), pai do célebre artista Rafael Bordalo Pinheiro.

No pedestal estão gravados excertos dos Lusíadas. Na frente as estrofes 1, 2 e 3 do Canto I e na parte posterior as estrofes 95, 42 e 81 dos Cantos VI, VIII e VII respectivamente.

Raid Lisboa-Macau 1924

Aeronave “Sagres”. Em 1987, com o intuito de comemorar o Raid Lisboa-Macau 1924 e com o patrocínio da Sociedade Central de Cervejas e Bebidas, realizou-se o raid aéreo desta vez Sagres-Macau.
Aeronave “Sagres”, Parque de Seac Pai Van em Coloane, Macau

A 7 de Abril de 1924 teve início uma arriscada aventura, o raid aéreo Lisboa-Macau, uma proeza de mais de 16000 km de voo.

Este acontecimento foi levado a cabo pelos aviadores-militares Brito Paes e Sarmento de Beires, ao qual se juntou em Tunes o alferes mecânico Manuel Gouveia.

Partiram de Portugal num aparelho baptizado de “Pátria” e após a aeronave ter ficado inutilizada numa aterragem na Índia, foi-lhes facultada uma outra. Desta feita “Pátria II”, que permitiu concluir o seu objectivo no dia 20 de Junho do mesmo ano.

Esta segunda aeronave, com apenas lotação para duas pessoas, obrigou Manuel Gouveia a continuar a viagem por via terrestre, facto que não impediu de inscrever os três protagonistas na história aeronáutica mundial.

Em 1987, com o intuito de comemorar esta façanha e com o patrocínio da Sociedade Central de Cervejas e Bebidas, realizou-se um novo raid aéreo desta vez Sagres-Macau.

Teve como protagonistas três portugueses: os dois pilotos Jorge Cruz e Arnaldo Leal e o engenheiro Álvaro Prata Mendes que após passarem pelo Médio Oriente, a Índia e Hong-Kong aterraram com sucesso na Ilha de Coloane, Macau. 

Hoje a aeronave “Sagres”, utilizada neste tributo, pode ser apreciada pois encontra-se exposta no Parque de Seac Pai Van em Coloane, sendo um dos sinais de Lisboa em Macau por nós seleccionados.

Hotel Lisboa

Hotel Lisboa, Macau. Para além da designação deste hotel evocar Lisboa, na sua imagem de marca podemos observar a presença do próprio símbolo da cidade de Lisboa, a barca com dois corvos afrontados do mártir ibérico Vicente.
Hotel Lisboa, Macau

Trata-se de um hotel-casino construído em 1970, considerado a primeira unidade hoteleira de luxo em Macau. Na sua concepção podemos observar uma fusão entre os estilos oriental e ocidental.

O Hotel Lisboa apresenta aspectos muito peculiares que suscitaram desde sempre interpretações ligadas à geomancia e ao feng shui. Os entendidos no assunto referem que todos os pormenores deste hotel foram pensados de acordo com os preceitos da arte milenar chinesa que estuda a influência do espaço no bem-estar das pessoas. 

Existem ainda elementos associados a crenças ou a superstição, como a sugestão de um morcego de boca e asas abertas na entrada principal. No oriente este é um animal que augura felicidade, sucesso e prosperidade, devido à homofonia em chinês com a palavra “felicidade”.

Uma outra curiosidade é o facto de o exterior dos edifícios que compõem o complexo hoteleiro, apresentarem uma decoração que sugere uma espécie de corrente aberta. O seu propósito é reter o jogador mas sem lhe tirar a liberdade de sair para se restabelecer e então reiniciar novo ciclo de jogos de apostas.

Para além da designação deste hotel evocar Lisboa, é possível encontrar outros elementos que nos remetem para Portugal, como por exemplo as maravilhosas naus e caravelas que se observam na cúpula do lobby da entrada principal.

Curiosa é ainda a sua imagem de marca onde podemos observar a presença do próprio símbolo da cidade de Lisboa, a barca com dois corvos afrontados do mártir ibérico Vicente. 

Pastel de Nata

Cartaz promocional de pastéis de nata, Macau. Macau teve o papel fundamental na sua difusão pela Ásia, desde Hong-Kong a Taiwan, conhecidos como Portuguese egg tarts.
Cartaz promocional de pastéis de nata, Macau

Uma das boas consequências da extinção das ordens religiosas levada a cabo em Portugal em 1834, foi a divulgação das receitas de doces produzidos nos conventos. Esta divulgação deu origem a pequenos negócios de bairro que aos poucos se espalharam pela cidade, pelo país e pelo mundo.

É o caso da receita dos pastéis de nata, original do Mosteiro dos Jerónimos, que hoje podemos encontrar em diferentes interpretações um pouco por todo o lado.

Macau teve o papel fundamental na sua difusão pela Ásia, desde Hong-Kong a Taiwan, conhecidos como Portuguese egg tarts.

Andrew Stow, um inglês radicado em Macau, desenvolveu a sua própria receita em 1990. A partir de então ganhou projecção e hoje os pastéis de nata tornaram-se um fenómeno.

Apesar de poder encontrá-los em muitas das pastelarias da cidade, os turistas não dispensam provar um destes doces, mesmo sujeitando-se a longas filas para adquiri-los na pastelaria mais conhecida, curiosamente a da ex-mulher de Stow. 

Os pastéis de nata de Macau são deliciosos mas a getLISBON mantém a sua fidelidade aos de Lisboa. 😉

Calçada Portuguesa

 imagem pode ser observada a pequena estrela, desenho que entre outros curiosos segredos da calçada portuguesa, muitas vezes é interpretado como assinatura dos calceteiros. Aqui qual terá sido a sua motivação?
A pequena estrela na calçada portuguesa, Macau

A calçada portuguesa surgiu em Macau muito tardiamente, apenas em 1993 quando foi implementado o primeiro projecto no Largo do Senado, talvez com a intenção de deixar mais uma marca portuguesa, antes da transição da soberania do território.

Em poucas décadas Macau tornou-se provavelmente, um dos sítios fora de Portugal onde se podem apreciar mais exemplares deste magnífico pavimento. Uma arte peculiar, nascida em Lisboa, que embeleza ruas e praças com fantásticos padrões de pedra.

O grande número de arruamentos com calçada portuguesa e o desenvolvimento desta arte em Macau, levou ao surgimento de uma identidade própria. Podemos encontrar motivos que remetem para o oriente, como caracteres chineses, flores, juncos ou figuras auspiciosas ligadas à cultura local e ao feng shui, como peixes, cavalos-marinhos, borboletas…

Na imagem pode ser observada a pequena estrela, desenho que entre outros curiosos segredos na calçada portuguesa, muitas vezes é interpretado como assinatura dos calceteiros. 

Aqui qual terá sido a sua motivação?

A Grande Praça do Hotel MGM

Grande Praça, Hotel MGM, Macau. De entre as fachadas dos edifícios é possível encontrar reproduções de emblemáticos monumentos de Lisboa, como a Estação Ferroviária do Rossio, a Casa dos Bicos ou ainda o Arco da Rua Augusta.
Grande Praça, Hotel MGM, Macau

Dentro deste moderno e luxuoso resort inaugurado em 2007, existe uma área ampla com uma cobertura de vidro de 1088m2, rodeada de edifícios de 25 metros de altura, denominada Grande Praça.

Toda a sua concepção é de inspiração europeia, exaltando e homenageando o passado histórico de Macau e a sua ligação com Portugal. De entre as fachadas dos edifícios é possível encontrar reproduções de emblemáticos monumentos de Lisboa, como a Estação Ferroviária do Rossio, a Casa dos Bicos ou ainda o Arco da Rua Augusta.

O pavimento é em calçada portuguesa inspirada no motivo “Mar Largo”, o padrão da Praça do Rossio em Lisboa que data de 1848.

Para além do acima referido, neste momento é possível reapreciar a monumental instalação da artista portuguesa Joana Vasconcelos, Valkyrie Octopus da série Valquírias.Esta obra concebida em 2015 para esta praça, recorreu a técnicas manuais como crochet e bordado de Nisa e é composta por elementos de tecidos de diferentes origens. O encantador efeito luminoso desta peça é produzido por milhares de LED incorporados.

Marchas Populares de Lisboa na Celebração do Ano Novo Chinês

Marcha Popular de Alfama, 2018, Lisboa. Lamentavelmente a getLISBON terminou esta viagem ao oriente, sem poder captar imagens da Marcha do Alto da Pina na Parada de Celebração do Ano Novo Chinês, um dos 7 sinais de Lisboa em Macau que escolhemos para si.
Marcha Popular de Alfama, 2018, Lisboa

O Ano Novo Chinês é a maior festa celebrada no oriente e, naturalmente, também em Macau. Para além de toda a cidade ser decorada com flores, pequenas tangerineiras carregadas de fruta, lanternas vermelhas e iluminação festiva, são organizadas muitas actividades comemorativas que se prolongam por vários dias, incluindo espectáculos de fogo-de-artifício.

Desde 2013 que a população pode assistir a duas sessões de Parada de Celebração do Ano Novo Chinês, em dias diferentes e em zonas distintas, com carros alegóricos e participação de associações recreativas, atraindo enorme afluência do público em geral, especialmente turistas.

As Marchas Populares de Lisboa passaram a integrar estes desfiles, a partir de 2014, em conjunto com grupos artísticos locais e outros oriundos do estrangeiro.

A Marcha de Alfama, vencedora de muitas edições, foi a primeira representante de Lisboa nestas festas, estando presente nos anos 2014, 2015, 2017 e 2019. Em 2018, foi a segunda classificada nas Marchas Populares de Lisboa de 2017, a Marcha do Bairro Alto, quem se associou ao evento.

A Marcha do Alto da Pina esteve presente em 2016, mas, infelizmente, este ano (2020) não pôde reviver esta fantástica vivência devido ao cancelamento de todos os programas de celebração, para diminuir o risco de propagação da pneumonia viral.


Lamentavelmente a getLISBON terminou esta viagem ao oriente, sem poder captar imagens da Marcha do Alto da Pina na Parada de Celebração do Ano Novo Chinês, um dos 7 sinais de Lisboa em Macau que escolhemos para si.

Esperamos que a sorte esteja do nosso lado numa próxima oportunidade. 😉

2 thoughts on “7 Sinais de Lisboa em Macau

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

19 − eleven =