Novembro 20, 2019 getLISBON 0Comment

A arte urbana Rostos do Muro Azul é um peculiar projecto de obras artísticas com um único tema, executado sobre tela azul celeste e espalhado ao longo de 1 Km de extensão. Venha conhecê-lo!

A getLISBON já teve a oportunidade de lhe falar das galerias de arte urbana a céu aberto dos bairros municipais:

E também da iniciativa Às 5 no Mercado – Arte Urbana do Estacionamento do Chão do Loureiro.

Desta vez vamos até à Rua das Murtas que fica nas traseiras do antigo Hospital Júlio de Matos, actual Centro Hospitalar Psiquiátrico de Lisboa, na zona das Avenidas Novas.

O Projecto de Arte Urbana Rostos do Muro Azul

A arte urbana Rostos do Muro Azul é um peculiar projecto de obras artísticas com um único tema, executado sobre tela azul celeste e espalhado ao longo de 1 Km de extensão.
O Muro Azul na Rua das Murtas

O projecto de arte urbana Rostos do Muro Azul foi uma acção conjunta do Centro Hospitalar Psiquiátrico de Lisboa e da GAU – Galeria de Arte Urbana do Departamento do Património e da Cultura da Câmara Municipal de Lisboa.

O mote desta intervenção colectiva evoca a saúde mental, chamando a atenção para uma questão grave e global, que pode afectar qualquer um, independentemente da sua condição económica, etnia ou cultura.

Em 10 de Outubro de 2012, para assinalar o Dia Mundial da Saúde Mental deu-se o início da intervenção artística no muro que delimita o Hospital Psiquiátrico. Após várias fases de trabalho, a conclusão final aconteceu três anos mais tarde, em 2015.

Entre vários formatos de participação (propostas pontuais, concurso e curadoria), todos os artistas nacionais e internacionais intervenientes na arte urbana Rostos do Muro Azul tiveram que se expressar sobre o tema “o rosto” e utilizar como cor de fundo, o azul celeste.

De entre todos os autores deste extenso mural, participaram na fase inicial: Aspen, Eime, José Carvalho, Mar, Miguel Ayako, Nark, Nomen, Odeith, Robô, Slap e Smile.

Na última fase contou-se com a presença de criadores internacionais, como Jorit Agoch, Nadine Boulengier, Vanessa Rosa e Jimmy C. E nacionais: Godmess, Vanessa Teodoro, Isa Silva e Ôje.

No total foram realizadas cerca de 77 pinturas por 61 criadores, resultando em um dos considerados mais longos murais de arte urbana da Europa.

Os Rostos

Intervenção de Daniel Eime. Alegria, tristeza, raiva e estranheza são apenas algumas das emoções reveladas nos muitos rostos aqui representados.
Intervenção de Daniel Eime

Apesar de “rostos” ser o único objecto a abordar podemos encontrar neste mural uma imensa diversidade de expressões artísticas, desde caligrafia a foto-realismo, assim como, diferentes mensagens associadas a cada uma das obras.

Alegria, tristeza, raiva e estranheza são apenas algumas das emoções reveladas nos muitos rostos aqui representados.

Uma observação atenta a este conjunto leva-nos a perceber a complexidade da mente humana.

A mensagem deixada por Leonor Brilha, na imagem de capa deste artigo, faz-nos pensar nos múltiplos desafios que enfrentamos ao longo da vida. Uns podem-nos dotar de importantes ferramentas, mas outros atormentam-nos, levando-nos a necessitar de auxílio.

A Arte Urbana Rostos do Muro Azul. Intervenção de Granje.
Intervenção de Granje

A importância da saúde mental ficou aqui expressa neste longo mural.

Mesmo vários anos passados sobre o arranque desta iniciativa, muitos dos trabalhos continuam em perfeito estado. E em paralelo, novas peças vão surgindo, uma característica muito própria desta dinâmica arte de rua.

Percorra connosco este muro azul!

Curiosidade

A Arte Urbana Rostos do Muro Azul no Google Arts and Culture
A arte urbana Rostos do Muro Azul é um dos vários projectos de arte de rua de Lisboa que pode ser visto online no Google Arts and Culture, pertencente ao Google Cultural Institute, onde milhões de histórias, peças de arte e monumentos de todo o mundo podem ser lidos e visitados virtualmente.
Mais especificamente em Google Street Art encontram-se histórias sobre a arte urbana a nível mundial e através do mapa disponibilizado é possível explorar um vasto número de intervenções já catalogadas. O objectivo é a conservação digital desta arte efémera.

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

four × two =